Loading...

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

NÃO TEMOS MUITO TEMPO

NÃO TEMOS MUITO TEMPO

As crianças estão na rua e estão morrendo.
Longe da escola...Nas esquinas fumam pedra,
em praças públicas cheiram cola.
Sem perspectiva, sem auto estima, a vida
Assim se esvai.
Mas através da escrita podemos mudar isso.

Podemos semear gente pra colher humanidade.
Podemos escrever a verdade.
Podemos retratar a verdade.
Podemos resgatar valores,tradições e ensinar as
crianças a se orgulharem de quem são.
Podemos assim juntos aceitar a nossa identidade.

POR ISSO NÃO TEMOS MUITO TEMPO

As crianças que morrem nas ruas são negras.
Escravas do poder branco.
A cultura do embranquecimento, continua fazendo vítimas.
E através da escrita a resistência conscientiza.

Retratar a periferia, falar do seu dia a dia.
Não um dia sofrido, mas sim um dia batalhado,
Conquistado com dignidade pelos moradores
Guerreiros da quebrada.

POR ISSO NÃO TEMOS MUITO TEMPO
A periferia está invadindo o centro.
Ouvir estórias da senzala, depois da roda de capoeira.
Apresentar um teatro ou ler poesia no sarau da periferia.
Também tem hip hop e roda de samba,
Onde não tem comédia, todo mundo é bamba.
Fazer parte da comunidade.
É tudo nosso e sempre foi.
Com conceito e consciência.
Tomaremos o que é nosso por direito.

POR ISSO NÃO TEMOS MUITO TEMPO
As crianças estão nas ruas e estão morrendo.

cákis
kkis1@hotmail.com
http://www.literaturanobrasil.com.blogspot.com/

Nenhum comentário: