Loading...

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Como dizem os brancos: A coisa vai ficar preta.

_ Eu não sou racista, mas conheço pessoas que são. Meus vizinhos por exemplo são.




Hoje se fala muito em bulling; brincadeiras idiotas praticadas por otários de mente vazia que tem o objetivo de constranger e machucar de maneira psicológica e física as pessoas. Todos sabem ou podem imaginar o dano grave e profundo que fica acometido àquelas que sofrem. São vários os relatos e as vitimas diferenciadas; crianças, adolescentes e também adultos por que não. Eu sempre fui o único aluno negro da classe desde o antigo pré primário que já não existe mais. Mas entre as crianças, com a pureza ainda existente no coração, somos todos iguais sem distinção ou melhor as diferenças entre as crianças são bastante notadas e respeitadas. Já no primário, alfabetizado os apelidos não surgem pelo que sou, mas sim pela cor da minha pele, pelo meu cabelo e pela minha descendência africana. Vocês conseguem imaginar o quanto é difícil para uma criança negra superar o racismo dentro da escola, as vezes pelo próprio educador que elogia a criança de pele clara e rejeita a criança de pele escura. Isso faz com que a criança não queira ser o que é resultando numa revolta declarada ou uma profunda tristeza incontida. Sentindo-se em uma terra estranha onde a olham e a tratam com indiferença mesmo sem conhecer sua ancestralidade senti no fundo a vontade de cometer o “banzo” sem mesmo saber o que significa. O que você acha que passa na mente de uma criança negra quando abre o dicionário e vê o significado da palavra “negro” associado a tudo que existe de ruim; demoníaco, trevas, maligno e outros que naturalmente você leitor profere em suas frases exclamativas, afirmativas quando algo é incerto, negativo, e por não notar e achar que tais frases não surtem efeito, tornam assim parte de uma cultura racista que você não demonstra consciência de que sua contribuição fará com que ela não acabe. Toda criança negra sofre constrangimentos profundos chegando a ser traumáticos, mas pra sociedade racista isso é natural. Nunca vi noticiado uma vitima negra de bulling. Só meninas brancas chamadas de magrelas, outras de gordas e por serem crianças sei que sofrem com a situação, não mais do que as negras que sendo crianças também, sofrem pelo que são e não pela condição ou situação. Chamadas de macacos, carvão, escravo, boneco de piche, neguinho, neguinha e outros pejorativos que fazem com que a criança se acostume a ouvir e através da cultura racista esquece seu nome, por ser rara as vezes que é chamado por ele e perde assim aquilo que nunca descobriu ter que é sua identidade. Continuem pretos. Pois a cultura do embranquecimento é um etnocídio.


Como dizem os brancos; a coisa vai ficar preta. Eu sou o Cákis continua.

Nenhum comentário: